Sinopse

O filme é uma adaptação de uma das obras mais conceituadas da escritora inglesa Virginia Woolf, “Orlando”, em que o realizador, Paul B. Preciado, dirige uma carta à escritora a dizer que a sua personagem Orlando tornou-se real: o mundo está a tornar-se orlandesco. Preciado convocou um teste de elenco com 25 pessoas diferentes, todas trans e não binárias, para interpretar a personagem fictícia de Virginia Woolf, enquanto narram as suas próprias vidas. O filme reúne ainda uma série de imagens de arquivo sobre pessoas trans de meados do século XX que evocam os verdadeiros Orlandos históricos na sua luta pelo reconhecimento e visibilidade.

“Aos 50 anos, o homem que defende o antirracismo e o feminismo radical é um dos filósofos mais influentes do momento.” – Le Monde

“[…] o primeiro filme do filósofo Paul B. Preciado é uma maravilha de inteligência, insurreição, humor e gentileza ao mesmo tempo. “ – Les Inrock

“Uma multiplicidade de vozes (…) falando diretamente para a câmera em um fluxo inabalável de testemunhos complexos e sinceros” Los Angeles Times

Paul B. Preciado, diretor
Paul B. Preciado é filósofo, curador e um dos principais pensadores contemporâneos das novas políticas do corpo, gênero e sexualidade. Nasceu como Beatriz Preciado em 1970, na Espanha, concluiu um mestrado em filosofia e teoria de gênero pela New School for Social Research de Nova York, além de um doutorado em filosofia e teoria da arquitetura pela Universidade de Princeton. Atualmente é filósofo associado ao Centre Pompidou, em Paris. Pela editora Zahar, publicou os livros Testo junkie (2008), Manifesto contrassexual (2009), Um apartamento em Urano (2019), Eu sou o monstro que vos fala (2020) e Dysphoria mundi (2022).

EXIBIÇÃO

Selecione a Sala

  • Sala 2

COMPRAR INGRESSO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  +  39  =  43